terça-feira, abril 25, 2006

25 DE ABRIL

terça-feira, abril 25, 2006

Eu recordo-me muito bem do 25 de Abril. Era uma jovenzinha cheia de sonhos e com uma filha quase acabada de nascer. Sim porque a minha filha é da geração do nascimento da revolução, nasceu em Janeiro desse ano. Estava a preparar-me para ir trabalhar (é que naquela época só tínhamos direito a 2 meses de folga pós-parto) e toca-me à porta a minha vizinha do rés-do-chão a perguntar-nos se estávamos a ouvir o rádio, claro que não estavámos, e foi quando soubemos que estava a haver uma revolução. Palavra esquisita para quem não percebia nada de política. Sim, porque a minha mãe não sabe ler, o meu pai que podia saber mais alguma coisa já tinha falecido e o que aprendíamos na escola não era nada. Pelo que percebi só na faculdade ou universidade é que o pessoal começava a aprender o que se estava a passar. Mas voltando atrás, foi um choque a notícia, pois ignorante como era, pensei logo o pior. Combates, tiros por toda a parte e com a possibilidade de algum tiro ser daqueles que se perdem e vão atacar inocentes. Enfim, um quadro negro daqueles quase terceira guerra mundial. E mais ainda, sem perceber o porquê de tal acto.
Meu Deus, como éramos (lá em casa) ignorantes.
Hoje entendo.
Felizmente dois anos depois fui trabalhar numa agência noticiosa e aí apercebi-me do que tinha sido esta revolução e quão importante ela foi.
Claro que houve coisas boas e coisas más, como por exemplo, a entrega das ex-colónias. Mas somos humanos e teria que haver erros. Eu isso entendo, mas acho que alguns poderiam ter sido bem evitados.

1 comentário:

Heibelha disse...

Bem, não sou a primeira a deixar um comentário no blog mas sou a primeira deste post. :)
E como não me lembro do dia 25 de Abril, só posso imaginá-lo nas palavras de quem o viveu. E usufruir da resultado da revolução, não sinto nenhum resído da época anterior à revolução.
Ainda bem que tudo já passou e correu pelo melhor.
Um cravo a isso.

Bjs