segunda-feira, maio 14, 2007

TIMOR

segunda-feira, maio 14, 2007


Hoje dei por mim a matutar em Timor. Como já disse alguns posts atrás a minha madrinha de casamento é timorense, ou seja, meio timorense, meia portuguesa. O pai era português e a mãe timorense, daí o seu ar mestiço que lhe fica muito bem. De maneira, que para ela às vezes é complicado tomar decisões, escolher um lado, mas sempre a vi tomar decisões que lhe pareceram correctas. Mas não é sobre ela que aqui vou escrever, mas sim sobre um País, que ela me descreveu, como muito bonito e belo. E sei também que neste momento ela sofre com o que se passou e está a passar naquele cantinho que já foi português e que deixámos um pouco ao Deus dará. Timor já tem Presidente, toda a gente já ouviu, por qualquer razão, falar em Ramos Horta, também bem conhecido porque recebeu um prémio Nobel. Mas, a minha opinião, e friso aqui que é a minha opinião pessoal, não me inspira confiança. E explico porquê. Este homem passou a maior parte da sua vida no estrangeiro, dizem que a trabalhar para Timor, eu sinceramente, nunca vi nada de palpável que ele fizesse por Timor, aliás nem tão pouco acho que ele merecia o Nobel, assim como o Bispo também o não merecia, mas isso são outros quinhentos, como eu digo. Ramos Horta só se pavoneou pelo mundo em nome de Timor, não esteve no terreno a lutar pelo seu povo, como por exemplo, Taur Matan Ruak. Agora é Presidente, espero que seja melhor do que foi primeiro ministro. Também lá esteve pouco tempo para mostrar alguma coisa, mas enfim. No dia 30 deste mês vai tomar posse, só espero que ele pegue no seu mandato e seja um bom Presidente, para eu daqui poder dizer que me enganei. E se eu puder desmentir a minha opinião fico muito feliz. Vejamos o que vai dar.

4 comentários:

pinky disse...

é esperar para vêr...

Capitão-Mor disse...

Na minha opinião, Ramos Horta não passa de um peru inchado que nunca lutou na verdadeira cepção da palavra em defesa do seu povo. Um político de salão que apenas esperou que o poder lhe caísse no colo! Ainda para mais, parece que gosta de cuspir no prato onde já comeu. Já o apanhei uma ou duas vezes a falar mal de Portugal...

Rubina disse...

Independentemente do Ramos Horta e do Bispo merecerem o premio nobel nao podemos esquecer que foi essa distincao que acabou por trazer novamente o assunto a arena internacional, e que levou os EUA a endurecer a sua politica com a Indonesia e o consequente referendo. Portanto acabou por servir. Pena que agora Timor siga o mesmo caminho que outras ex-colonias. Se realmente diz mal de Portugal e um mal agradecido...

Capitão-Mor disse...

A Jade já publicou o tercerio episódio da blogsérie. Está excelente!