sexta-feira, junho 13, 2008

AS FESTAS POPULARES

sexta-feira, junho 13, 2008

Hoje é dia de Santo Antóno. Dia de festejar este santo tão querido para muitos. Eu, pessoalmente, sou devota do meu querido Padre Cruz. Mas, hoje não estou aqui para falar dele, mas sim das festas populares que se festejam este mês. Ontem, a minha filha, à noite, veio ter comigo e diz-me:

- Mãe vou com a Magui ver a actuação dela e depois venho para casa.
Bem, esperei até às 02h da manhã e como ela não dizia nada telefonei eu.
- Mãe estou a chegar ao Saldanha para ir ver as marchas e depois vou.
Ok, como ela é uma menina que até não é de andar em festas, concordei. Até porque ela é jovem e precisa de sair e dar-se com os amigos. Aí às 03h30, mandei uma mensagem, a seguir ela responde que está a vir. 04h15 já não mandei mensagem, telefonei.
- Então?
-Mãe estamos a chegar ao carro e vamos agora para casa. Se eu soubesse não tinha vindo, mas que trampa de noite.
- Mas porquê, aconteceu alguma coisa?
- Não, só que foi uma noite para esquecer, nunca mais. Depois conto.
Fiquei um pouco preocupada, mas como estava tudo bem e já eram quase cinco da manhã fui-me deitar, mas só consegui dormir depois de ela chegar.
Hoje de manhã assim que ela acordou foi logo a minha primeira pergunta:
- Então o que aconteceu ontem para estares tão chateada?
Então ela contou-me que tinham deixado o carro no Saldanha e foram a pé até ao Marquês de Pombal e acabaram por ir até ao Terreiro do Paço e na volta tiveram que fazer o mesmo percurso a pé, porque não havia transportes àquela hora e ainda por cima, dizia ela, que nunca tinha visto tantos jovens deitados e sentados no meio da rua todos bem bebidos. Dizia ela:
- Oh mãe que miséria, todos deitados no chão a maior parte bebados, tanto rapazes como raparigas. Houve ruas que tínhamos de ter cuidado para não pisarmos ninguém. Que tristeza, não tenho paciência para esta gente que não sabe beber.
Só lhe disse:
- Pois filha, infelizmente há muito jovem que não sabe até onde pode ir. É triste, mas é assim.
Não adiantei muito mais, mas fiquei muito contente, pode-se dizer mesmo, muito orgulhosa por a minha filha pensar assim. Aqui fiquei convicta que a minha filha é uma menina saudável e de cabeça limpa. E ainda hoje agradeci a Deus ela ser assim.
Mas por aqui se vê como são agora as festas populares por estas bandas. Há muito que não saio à noite. Por aqui deduzo o que vai na cabeça destes jovens que acham que apanhar uma bebedeira com os amigos é que está certo. Será que eles sabem como se divertir sem cair no chão? Acho que não. No meu tempo, e já vão alguns anitos, também havia uns copitos a mais, mas os jovens divertiam-se, riam, brincavam uns com os outros sem ficarem caídos no chão como ela presenciou. Eu sei que os tempos mudaram, e ainda bem que assim é, mas pelos vistos para pior. Também sei que os jovens são irreverentes e não acatam os conselhos dos mais velhos, também faz parte, mas chegar a uma degradação destas?

3 comentários:

pinky disse...

hum...acho é que há muito jovem sem rimo e sem esperança no futuro e como tal vivem até ao limite o dia em que estão deturpando o significado do carpe diem!È triste ver gente a dormir no chão, mas se calhar há motivos que os levam ao chão, não será? sorte da tua filha que tem uma mãe e um pai como tu, daí a cabeça saudável e limpa, graças a deus e a vocês.
Pena nem todos os jovens ter essa sorte.,..

Rubi disse...

Parabéns pela filha ajuizada :) x

smpc83 disse...

Dá graças a Deus pela filha que tens, pois conheço muitas daqui da redondeza que são piores do que os rapazes, se fosse só beber...