terça-feira, agosto 12, 2008

FAMÍLIA DE FÉRIAS

terça-feira, agosto 12, 2008

A filha mais velha foi de férias com o marido e a filha e por acréscimo quis levar a irmã com ela, só que hoje, pela primeira vez, estou a viver a sensação do que é estar sem os filhos, neste caso as filhas, e sem a neta. É uma sensação esquisita já que costumamos estar, por este ou aquele motivo, juntos mesmo em férias. Sinto que me falta qualquer coisa e não sei o quê, mas tenho de me acostumar pois qualquer dia a mais nova forma também família e lá fico eu sozinha com o marido. Por um lado, é uma sensação de dever cumprido, mas que se esfuma quando sentimos a falta... a falta das pequenas conversas, como o de perguntar o que "queres comer?" ou ainda já "fizeste isto ou aquilo?", enfim, todos aquelas pequenas coisas do dia a dia. Até mesmo quando queremos um carinho e nos dizem "que chata já não sou criança", mas que nos orgulhamos quando vêm ter connosco a pedir conselhos.
Engraçado, estava aqui a pensar já tenho mais anos em que sou mãe do que de solteira sem filhos. Talvez seja este costume maternal que vou levar tempo a me desacostumar, sim, porque mãe serei até andar por aqui neste mundo.
Sei também que tenho de me ocupar com outras coisas e isso aqui o meu "pretinho" é fantástico. Posso passear pelo mundo inteiro sem sair da cadeira, posso fazer visitas a mil e uma coisas, posso ouvir música e até posso ver televisão e filmes. Que mais eu quero? Se não me apetecer estar por estas bandas ainda posso ler. Melhor só no paraíso. Só me falta uma coisinha, poder arranjar maneira de pôr uma rede brasileira ou na sala ou no escritório, mas aí não sei não.
Mas voltando à minha sensação de vazio e pensando melhor, há que lutar para preencher esse buraquinho que mais não é do que de mãe galinha. É normal os filhos um dia saírem de casa, eu sei, mas como animais de hábitos que nós humanos somos, há que arranjar outros hábitos que nos preencham a vida, sem deixar de continuar a ter os nossos filhos no coração, sem deixar de lhes dar mimo, sem deixar de lhe darmos a atenção que precisam. É que mesmo crescidos precisam sempre do apoio dos pais. Eu que já sou avó e apesar de estar muito pouco com a minha mãe ainda me sabe bem ter o apoio dela, nem que seja por uma simples palavra.

2 comentários:

smpc83 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
smpc83 disse...

Eu também nao me importava de ir de férias mas a vida nao o permite, sinto falta do mar e outras coisas mais!!!
Amiga é normal que sintas falta das pessoas que te rodeiam no dia a dia, eu passo varias vezes por essa experiencia!!!
muitos beijinhos