quinta-feira, junho 29, 2006

PARDAIS GORDITOS...

quinta-feira, junho 29, 2006

Trabalho mesmo ao lado do Picoas Plaza. Acabo sempre por almoçar por lá e se não almoço os meus passos não deixam de calcorrear aquelas pedras. Ontem estava lá sentada com a filha maior a beber um cafézinho, rapidinho, e ela chama-me a atenção: "olha mãe já reparaste que os pardais estão bem gordinhos?". É verdade, olhei para eles e lá estavam a bicar migalha a migalha que as pessoas vão deixando cair. A vergonha, que é normal nestes pássaros, está cada vez mais a fugir, de pé ante pé, ou seja, pata ante pata, vão-se chegando às pessoas para chegar à sua comidinha. Antes, só de levantarmos as mãos, ou mesmo um dedo, eles voavam, agora não, chegam-se cada vez mais perto de nós. É engraçado pousar os nossos olhos nas cabecitas deles a olhar para verem até onde podem ir, neste caso, virem até à nossa beira. Até parece que estão a rir e a gozar connosco. Depois lá veem agarram um bocado de pão e ficam a debicar a migalha que é maior do que seu bico. Os mais atreviditos chegam a ficar na mesa ao lado da nossa e quase nos cumprimentam outros ainda se assustam e fogem. Enfim, lá enchem os papos e de tanto comerem alguns até andam de lado para equilibrarem o pequeno corpito. Há lá um que me faz mais impressão pois só tem uma patita, mas não deixa de estar gordito e lá vai andado ao pé cochinho e não deixa os outros chegarem ao pé dele. Ali é a zona dele e mais nada, ai daquele que lá chegue que ele dá logo uma bicada. E pronto lá ficaram os pardalitos depenicando e eu tive de voltar ao trabalho.

3 comentários:

Ângela Carrascalão disse...

Também tenho pardalitos - ou algo parecido com pardais - que vêm à minha varanda debicar do meu pão. Isto, depois de terem debicado as sementes que ponho na minha horta e as papaias que abundam no quintal! Eu não me importo. Até gosto. Porque me lembro que, quando regressei a Timor em 2002, os pássaros haviam desaparecido por causa dos incêndios!

Mary Mary disse...

Eu perco-me a olhar para os pardais...

Pedroca disse...

Aki onde trabalho também existem muitos pardais apesar de ser uma região comercial da cidade de São Paulo (Brasil).
É mesmo engraçado como esses bichinhos vão se adaptando a nós, os daqui chegam as vezes abebericar o que resta no fundo de alguns copos, sobre as mesas. Logo-logo os daqui além de gordinhos estarão como eu viciados em café.