sexta-feira, julho 27, 2007

UM SIMPLES ABRAÇO...

sexta-feira, julho 27, 2007

Na imaginação dos gregos, o mundo estava povoado de incontáveis divindades femininas, solteiras e disponíveis: os campos e os bosques eram habitados pelas ninfas, enquanto as profundezas do oceano e as espumas das ondas eram habitadas pelas nereidas - todas elas belas e misteriosas, exercendo seu fascínio sobre todos, homens ou deuses, que atravessassem seu caminho. Ao vê-las, muitos se deixaram tomar pelo amor ou pelo desejo, mas poucos conseguiram conquistá-las. Peleu, que viria a ser o pai de Aquiles, o grande herói da Guerra de Tróia, foi um dos que tiveram sucesso.
A sua eleita, Tétis, era a mais bela entre todas as nereidas. Ela costumava aparecer completamente nua numa pequena baía deserta da Tessália, cavalgando um golfinho amestrado; ali, na solidão de uma pequena gruta disfarçada por espessos arbustos de murta, ela se estendia languidamente para aproveitar a paz de uma sesta para revigorar sua beleza. Foi assim que Peleu a viu, por acaso, e ficou enfeitiçado. Chegou a dar um passo em sua direção, mas ela simplesmente correu pela areia firme da praia e foi desaparecer entre as ondas verdes do mar, deixando-o ali, atônito, infeliz para todo o sempre, condenado a amar uma mulher assim inatingível.

Felizmente ele tinha a quem pedir um conselho que aliviasse a sua angústia: o centauro Quíron, o velho mestre que tinha educado a ele e a tantos outros heróis. Quando ouviu o relato de Peleu, Quíron não teve dúvidas de que se tratava de Tétis. "É uma mulher para poucos, meu filho; até o próprio Zeus a cobiça. Agora, se esta é realmente a noiva com que sonhas, vais ter de provar que és homem suficiente. Ela pode assumir a forma que bem entender - de serpente, de fogo, de touro, de tigresa - e é assim ela tem se desvencilhado de todos os seus pretendentes. Se achas que esta é a mulher que vai te fazer feliz, espera que ela adormeça e põe toda a tua vida num abraço definitivo; aconteça o que acontecer, não fraquejes, e ela acabará sendo tua".
Peleu não perguntou duas vezes, e foi se esconder entre os arbustos que tapavam a boca da caverna. Quando a nereida foi tomada pelo sono letárgico do meio-dia, ele saltou sobre ela e a enlaçou com seus braços poderosos, puxando-a contra o peito. Ela transformou-se numa fogueira, e ele agüentou a queimadura; como serpente, ela o picou várias vezes com suas presas aguçadas, mas ele não a soltou; ela virou então uma feroz tigresa, e ele teve de esquivar-se como pôde de suas garras de navalha. Finalmente, vencida, ela voltou à sua forma natural, aninhando-se junto ao peito daquele que seria seu marido. Peleu ficou muito grato a Quíron, mas não sabia que o velho centauro dava o mesmo conselho a todos os seus discípulos, porque, dizia ele, toda mulher tem um pouco de Tétis: quando assustada, pode queimar e pode ferir, mas se o seu homem a envolver num desses abraços verdadeiros e absolutos, sem nada pedir ou perguntar, em pouco tempo ela voltará à forma com que ela o conquistou.

5 comentários:

pinky disse...

tou virando uma nereida tou , com esta vontade de mergulhar no mar e me fundir com ele, safa de calor!
atchimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

cris disse...

eu adoro mitologia, sou fascinada nessas histórias...e agora conheci mais uma!

Um beijão!

Boa semana!

carinhosa disse...

Uma história como tantas outras, mas hoje, ao entrar no seu castelo para o habitar, senti-me retratada, de alguma forma compreendida...
Como conseguimos ser tantas e uma só...
E como o poder de um abraço nos faz voltar ao porto seguro...

Espero que aceite mais uma inquilina no seu castelo!
:)
Um abraço

AnadoCastelo disse...

Carinhosa:
Obrigada pela sua visita, é sempre bem vinda. Venha sempre que quiser.
Um abraço bem apertadinho

smpc83 disse...

É uma história muito bonita, eu adoro estas histórias...
beijinhos querida